INCT logo.jpg

O que influencia a coleta de lenha na Caatinga?

Por Lucrécia Braz dos Santos*

 

 

       

 

 

    Você sabia que mesmo nos dias atuais muitas pessoas dependem da lenha para cozinhar seus alimentos? A lenha tem sido considerada a principal forma de energia para várias populações humanas.  No Brasil 11 milhões de famílias ainda dependem da lenha, e na região Nordeste onde vivem muitas pessoas de baixa renda, o uso da lenha é bastante comum.  


     A coleta de lenha não é algo aleatório, ou seja, há razões para que certas plantas sejam selecionadas e exploradas em detrimento de outras. Diversos fatores influenciam esse processo, tais como, fatores socioeconômicos, culturais, ecológicos e biológicos.  Dessa forma, pesquisadores realizaram um estudo por meio de questionários semiestruturados entre 2015 e 2016 na comunidade Carão, Munícipio de Altinho-PE. Com o objetivo de compreender a influência desses fatores no comportamento dos coletores de lenha. 


    Esse tipo de pesquisa é de grande relevância para uma melhor compreensão acerca dos padrões de coleta quanto ao seu uso e para a identificação dos perfis das espécies vegetais que podem sofrer maior pressão de uso, levando à eventual extinção local. 


     Os resultados mostraram que os fatores biológicos e ecológicos influenciam na seleção de lenha, ou seja, as pessoas utilizam critérios, sejam eles conscientes ou inconscientes na hora de coletar lenha.  A durabilidade, por exemplo, é um fator biológico muito importante nesse quesito, haja vista, que as pessoas costumam coletar lenha das espécies que tem alta durabilidade, exercendo, portanto uma forte pressão sobre elas. Nesse estudo, o grupo de plantas mais utilizadas para lenha foram Poincianella pyramidalis (Tul.) (catingueira), Ptilochaeta bahiensis Turc., Croton blachetianus Baill. (marmeleiro), Mimosa ophthalmocentra Mart. Ex Benth. (jurema branca) e Schinopsis brasiliensisl Engl. (baraúna).

 
    Assim, fica evidente que as espécies não são selecionadas ao acaso, mas com base em certos critérios.  Dessa maneira, esse estudo mostra a importância de conhecer melhor as estratégias de seleção de espécies a serem coletadas para uso como combustível, para estabelecer prioridades para a conservação das espécies e desenvolver planos de manejo para as áreas.

Abaixo você encontra o link para acessar o artigo.

          2021 

Drivers of species’ use for fuelwood purposes: A case study in the Brazilian semiarid region. Journal of Arid Environments.  

Juliane Souza Luiz Hora, Ivanilda Soares Feitosa, Ulysses Paulino Albuquerque, Marcelo Alves Ramos, Patrícia Muniz Medeiros.

Acesse https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0140196320302238

*Lucrécia Braz dos Santos é graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Piauí-UESPI. Atualmente é Bolsista de Cooperação Técnica (BCT) no Laboratório de Ecologia e Evolução de Sistemas Socioecológicos (LEA) do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia-Etnobiologia, Bioprospecção e Conservação da Natureza da UFPE, responsável pela parte de Divulgação Científica. 

Lattes: lattes.cnpq.br/3817142117520941

arid.jpg